Artrite Reumatóide

A Artrite Reumatóide (AR) é uma doença crónica, inflamatória, auto-imune que se caracteriza pela inflamação das articulações e que pode conduzir à destruição do tecido articular e periarticular. Existe também uma ampla variedade de alterações extra-articulares.

É uma doença crónica, mas se eficazmente tratada, tem bom prognóstico vital e funcional. 

Os doentes com AR frequentemente sentem dor e dificuldade em mobilizar as articulações, mas os sintomas podem ser muito variados. A supressão da inflamação nos estágios iniciais da doença, ou seja o tratamento precoce, pode resultar em melhoria substancial do prognóstico a longo prazo.

A AR não é uma doença rara, a sua prevalência (frequência) varia de 0,5-1,5% da população nos países industrializados. Em Portugal estima-se que afecte 0,8 a 1,5% da população. A ocorrência global de RA é duas a quatro vezes maior em mulheres do que em homens. O pico de incidência nas mulheres é após a menopausa, mas pessoas de todas as idades podem desenvolver a doença, incluindo adolescentes.

Qual a causa?

Sendo uma doença auto-imune significa que no doente com AR o seu o sistema imunitário não está a funcionar adequadamente, havendo produtos do sistema imune que reagem contra os tecidos do doente.

A causa dessa desregulação do sistema imunitário que acontece na AR é desconhecida, no entanto, investigações estão a ser feitas nesta área e já foram descobertos alguns factores de riscos, como por exemplo o tabagismo. Estudos científicos sugerem ainda que a doença seja causada pela interacção de factores de risco com a existência de predisposição genética.

A inflamação articular é assim desencadeada pela presença de moléculas (citocinas) que interagem com alguns glóbulos brancos causando uma reacção inflamatória local e sistémica (em todo o organismo). Este processo traduz-se em edema (inchaço), dor, e, por vezes, rubor (vermelhidão) e aumento da temperatura nas articulações afectadas, gerando incapacidade para as mover correctamente.

Que queixas e sintomas apresentam os doentes?

 

A apresentação pode ser muito variável. A presença de artrite (inflamação nas articulações) é uma característica fundamental da doença. A inflamação articular causa alterações características: edema, dor das articulações e, por vezes, rubor e calor. Causa também rigidez, uma sensação de prisão dos movimentos, especialmente no início da manhã ou depois de períodos de repouso.

Frequentemente, a doença começa como uma poliartrite simétrica (mais de 4 articulações inchadas e dolorosas, nos dois lados do corpo). Qualquer articulação com membrana sinovial (membrana que reveste algumas articulações e que produz um líquido que lubrifica, nutre e facilita os movimentos articulares) pode ser atingida, mas geralmente afecta primeiro as pequenas articulações das mãos e dos pés. À medida que a doença progride, mais articulações podem inflamar, incluindo ombros, cotovelos, ancas e joelhos.

Para além dos sintomas articulares, os sintomas constitucionais (por exemplo, o cansaço, sintomas de gripe, febre, suores e perda de peso) são comuns.

Se não for tratada, a inflamação conduz à destruição progressiva das articulações e sua perda de função. Podem surgir nesta altura deformidades articulares, algumas muito características nas mãos. Ao dano articular, pode adicionar-se perda de massa muscular por atrofia, podendo levar de forma progressiva a dificuldades motoras.

Os tendões estão envolvidos por bainhas e estas são também constituídas por membranas sinoviais, podendo ficar inflamadas, tal como as articulações.

Objectivos de um programa de reabilitação: 

  • Melhoria do movimento articular e destreza manual

  • Alívio da dor e inflamação

  • Recondicionamento físico geral

  • Ensino e aconselhamento de produtos de apoio (ortóteses, talas, etc)

  • Retorno às actividades laborais, vida quotidiana e actividades desportivas 

Peça na consulta médica os nossos Flyers para o seu Hometraining 

download_edited.jpg
Sem%20T%C3%ADtulo_edited.jpg