Mãos e dedos

SHU_Sehnenscheidenentzuendung-a.jpg

Síndrome do túnel cárpico 

O Síndrome do canal cárpico ocorre quando o aumento de pressão dentro do canal cárpico causa compressão do nervo mediano. Quando a compressão é suficientemente elevada conduz a alterações da função nervosa, o que provoca adormecimento/formigueiro, dor na mão e dedos e eventualmente fraqueza muscular. Os queixas manifestam-se geralmente à noite, mas podem aparecer durante as actividades diárias. Os doentes notam que têm diminuição da força de preensão, podendo deixar cair os objectos da mão. Nos casos mais graves, a sensibilidade pode estar completamente ausente e os músculos da base do polegar atrofiados (atrofia da eminência tenar). 

Normalmente a causa é desconhecida. A retenção de líquidos durante a gravidez pode em alguns casos provocar edema no canal, que normalmente desaparece depois do parto. Algumas doenças como o hipotiroidismo, a artrite reumatóide, a diabetes e a insuficiência renal podem estar associadas a este síndrome.

 

Tenossinovite estenosante (Dedo em gatilho)

A tenossinovite estenosante, normalmente conhecida por dedo em gatilho, envolve os tendões e polias dos tendões flexores dos dedos da mão. 

O dedo em gatilho acontece quando o tendão desenvolve um nódulo ou edema da película envolvente. Quando o tendão edemacia, aumenta de volume, e tem de roçar na entrada do túnel (bainha do tendão flexor), o que provoca dor, ressalto e sensação de prisão  no dedo. Quando o tendão roça na bainha produz-se mais inflamação e mais edema. Isto provoca um ciclo vicioso, o que leva em alguns casos a um bloqueio, não sendo possível dobrar ou esticar o dedo envolvido.

As causas para o aparecimento do dedo em gatilho não estão totalmente esclarecidas. Um traumatismo da palma da mão pode provocar irritação dos tendões flexores. Algumas doenças como a artrite reumatóide, a gota e a diabetes estão associadas com o aparecimento de dedo em gatilho.

Doença de Dupuytren

A Doença de Dupuytren é uma patologia benigna que se caracteriza por um espessamento fibrótico da fascia palmar e digital da mão. Inicialmente apresenta-se como uma massa palmar palpável (nódulo de Dupuytren) que pode progredir para uma contractura em flexão das articulações da mão. Ocorre mais frequentemente no 4º e 5º dedos.

A diminuição da amplitude de movimentos afecta as actividades diárias do doente. Os nódulos que se formam nas pregas de flexão palmar poderão ser indolores ou moderadamente dolorosos. À medida que aumentam, estes desenvolvem cordões que se estendem distal e proximalmente e que, uma vez espessados, encurtam e levam à contractura.

Tenossinovite de Quervain

A tenossinovite, tendinite,  ou síndrome de De Quervain é uma inflamação que afecta os tendões do punho que se dirigem para o polegar, nomeadamente os tendões do abdutor longo e extensor curto do polegar, na zona onde atravessam uma bainha fibrosa espessa, que constitui o primeiro compartimento extensor do punho.

Embora as causas da tenossinovite de De Quervain sejam desconhecidas, na maioria dos casos está associada a excesso de uso, quer em casa quer no trabalho, ou a artrite reumatóide.

Qualquer atividade que envolva movimento repetitivo do punho e mão como jardinar, jogar golfe ou ténis ou pegar num bebé, por exemplo, pode desencadear e/ou agravar a sintomatologia. Posições viciosas prolongadas ou situações de sobrecarga também podem estar na sua origem. 

Além disso, existem condições fisiológicas que predispõe ao desenvolvimento desta patologia, como a gravidez, o puerpério ou em doentes que tenham tido uma fratura prévia do punho.

O principal sintoma da tendinite de De Quervain é a dor no bordo externo do punho. A dor pode ter inicio súbito ou insidioso e inicialmente surge a nível da base do polegar, na zona que corresponde ao primeiro compartimento extensor. Frequentemente a dor irradia em direção ao polegar ou ao antebraço, sendo por vezes difícil para o doente localizar um ponto específico de dor.

A tendinite de De Quervain tem cura com o tratamento adequado, que consiste na eliminação da inflamação dos tendões afetados, proporcionando assim alívio da dor e recuperação da mobilidade e da função.

Objectivos de um programa de reabilitação: 

  • Melhoria da mobilidade e movimento articular 

  • Alívio da dor e inflamação

  • Ensino e aconselhamento de produtos de apoio (ortóteses, talas, etc)

  • Retorno às actividades laborais, vida quotidiana e actividades desportivas 

Peça na consulta médica os nossos Flyers para o seu Hometraining